sábado, 8 de janeiro de 2011

AS PLANTAS

As plantas nascem, alimentam-se, respiram, crescem e reproduzem-se. A maioria das plantas possui um atributo especial: produz o seu próprio alimento. As plantas podem ter características muito diferentes considerando o local onde vivem. As que vamos explorar são formadas por raiz, caule, folha, flor, fruto e semente e correspondem à maioria das plantas – cerca de 80%.
A raiz cresce normalmente debaixo da terra. Serve para a planta se fixar ao solo e para absorver água e nutrientes.
O caule, na maioria dos casos, cresce acima da terra. Nele estão inseridas as folhas e as flores. O caule ajuda no suporte da planta, no transporte da água e dos nutrientes, na reserva de alimentos e no crescimento.
As folhas são as fábricas onde a planta produz o seu alimento. Para que estas fábricas funcionem é preciso da luz do sol. Enquanto as plantas produzem o seu alimento libertam um gás, o oxigênio.
As flores são muito importantes para as plantas se reproduzirem e formarem outras plantas iguais a elas.
Os frutos formam-se após a polinização das flores. No seu interior vão crescer as sementes. A polinização pode ser ajudada pela água, pelo vento ou por animais (abelhas, moscas, pássaros...).
As sementes quando caem na terra “acordam” e originam um pequeno rebento que irá dar origem a uma nova planta. As sementes, tal como as raízes, os caules, as folhas, as flores e os frutos, podem ter forma, cor, textura e tamanhos muito diferentes. Algumas plantas não formam flores nem sementes, por exemplo, os fetos e os musgos. Nestes, as plantas reproduzem-se através de esporos, que são ainda mais pequeninos do que as sementes.
Dependendo da estação do ano, as folhas também podem mudar de cor. Isso ocorre por causa de alguns fatores como a intensidade de luz, a umidade, a temperatura. Alguns tipos de plantas deixam cair as folhas em determinadas épocas do ano.
As folhas possuem uma substância chamada clorofila, que dá a cor verde aos vegetais.
A maioria das folhas são verdes, embora existam as que são vermelhas, amarelas, marrons. Essas folhas apresentam outras substâncias além da clorofila, que lhes oferece outra cor.
Essas folhas que caem não são perdidas. Você se lembra sobre o que acontece com as folhas mortas que caem no chão?



Elas são atacadas pelos microorganismos do solo fazendo com que se decomponham, passando a constituir uma camada da terra chamada húmus – folhas mortas e matéria animal em decomposição – é fundamental para a qualidade do solo.
É no húmus que as plantas encontram as substâncias necessárias à sua vida.

A polinização


Polinização é o transporte do pólen dos órgãos masculinos da flor até a parte feminina de outra; deste modo, obtêm-se as sementes que produzirão uma nova planta.
Você já observou que uma pereira fica toda florida e depois carregadinha de frutos (pêras) quando as florescem?Se você passar os dedos na parte interna da flor, perceberá que ali existe um pozinho amarelado. Esse pozinho é o pólen. Você pode vê-lo se aproximar bem os olhos da flor.
Observando um jardim ou um campo, encontraremos neles uma variedade de bichinhos como joaninhas, besourinhos, borboletas, abelhas e até pássaros voando ou andando sobre as flores de um lado para o outro num verdadeiro festival.
Você já pensou o que esses seres fazem ali? Na verdade, esses animais estão à procura de alimentos e, sem saber, participam de uma interação muito importante: o transporte dos grãos de pólen.
Os grãos de pólen aderem às patas e às asas dos insetos, e aves. Quando eles pousam, passeiam e se movimentam, deixam cair o pólen em várias flores. Esse transporte chama-se polinização.
A polinização é importante para que o fruto se desenvolva a partir da flor. Todo fruto no início foi uma flor.

Algumas plantas utilizadas pelo homem
Do café, retiramos a semente para a preparação de uma bebida estimulante, também conhecida como café. O café é largamente cultivado em países tropicais, tanto para consumo próprio como para exportação para países de clima temperado. O Brasil é o maior produtor e exportador mundial de café.



O algodão tem várias serventias para o homem. O fruto, depois de desfiado, é aproveitado na fabricação de tecidos. Da semente do algodoeiro pode-se extrair óleo.



No Brasil a raiz da mandioca é consumida na forma de farinhas, da qual se faz a farinha de mandioca e tapioca ou, em pedaços cozidos ou fritos. Está presente também no preparo de receitas típicas da Amazônia. Existe um tipo de mandioca venenosa que não pode ser comida. No entanto, dela pode ser feita à farinha. A mandioca recebe várias denominações, conforme a região do país onde é encontrada. No Nordeste, por exemplo, é conhecida como macaxeira; no Sul, como aipim.



Da beterraba, pode-se extrair açúcar, além da sua serventia com alimento.
















As plantas medicinais 

Planta medicinal é uma planta que contém substâncias bio-ativas com propriedades terapêuticas. Muitas destas plantas são venenosas ou pelo menos levemente tóxicas, devendo ser usadas em doses muito pequenas para terem o efeito desejado. Existe um grande número de espécies em todo o mundo, usadas desde tempos pré-históricos na medicina popular dos diversos povos.
Quando estamos com dor de barriga, nossa mãe faz aquele chazinho milagroso. Depois de bebê-lo nossa dor passa.
Certas plantas possuem propriedades curativas. São utilizadas para as mais variadas doenças.
Conheça algumas plantas medicinais:
A erva-cidreira é conhecida também como melissa. O chá feito com suas folhas melhora a digestão e serve como calmante.
A espinheira-santa combate a gastrite e a úlcera estomacal.
A quebra-pedra dissolve as pedras dos rins.
O boldo normaliza as funções do fígado.






Nem todas as plantas podem ser usadas.
Algumas são tóxicas


Algumas das plantas ornamentais que temos em nossos em vasos ou jardins podem esconder perigo por trás de sua beleza. Elas são chamadas "plantas tóxicas" pois apresentam princípios ativos capazes de causarem graves intoxicações quando ingeridas ou irritações quando tocadas.
Em muitas casas, existem vasos com plantas como esta ,é chamada comigo-ninguém-pode. Jamais devemos colocá-la na boca.
Sua ingestão provoca irritação e inchaço na garganta, podendo até causar a morte da
pessoa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário